Biografia

Gertrudes Comensoli, fundadora das Irmãs Sacramentinas de Bérgamo, nasceu em Bienno (Brescia), aos 18 de janeiro de 1847. No dia seguinte, foi batizada com o nome de Catarina. Muito cedo, se sentiu atraída, de modo irresistivel, por Jesus presente e vivo na Eucaristia e, desde criança permanecia longamente, em oração contemplativa, diante do Tabemáculo.

Pouco a pouco vai-se delineando nela, o pensamento de fundar um Instituto de Irmãs dedicadas à adoração perpétua de Jesus Eucarístico. Na adolescência, porém, tomada pelo desejo de aparecer e de ser valorizada, atenua a sua tensão para o Senhor.

Retomando-se logo desta crise e, ainda mais enamorada do que nunca, do seu Deus, não tem outro objetivo em sua vida a não ser o de amá-lo e fazer com que seja amado por todos, especialmente pelas crianças e pelas jovens que as mães de Bienno lhe confiam de boa vontade, às quais ela ensina o catecismo e ensina a rezar, levando-as com frequência à igreja, para visitar Jesus.

A doença do pai e as dificuldades econômicas, obrigaram-na a abandonar o lar e sua cidade natal e ir, primeiramente a Chiari, como doméstica de D. João Batista Rota e, depois, a S. Gervasio d ' Adda, como aia, na casa da condessa Fé Vitali. Tanto em S. Gervasio, como em Bienno, no tempo livre, se dedica aos pobres e à educação das crianças e das jovens. Ali institui a Companhia das "Guardas de honra do Santíssimo Sacramento".

Em 1880 teve a ocasião de ir a Roma com a família Fé Vitali e, numa audiência privada, pode falar com o Papa Leão XIII, sobre o seu projeto de fundar um Instituto. O Papa lhe sugere que una à adoração eucarística o cuidado das crianças pobres, especialmente as operárias. Retomando, confia o seu propósito ao Bispo de Bérgamo, D. Camillo Guindani, o qual acolhe com benevolência a idéia e confia a Comensoli à orientação do Padre Francisco Spinelli, sacerdote animado por um amor ardente à Eucaristia.

Aos 15 de dezembro de 1882, na Rua Cavette,08 , em Bérgamo, num pobre barracão alugado, teve início o Instituto das Irmãs Sacramentinas. Dois anos depois, Catarina, com mais cinco companheiras, vestiu o hábito religioso e assumiu o nome de Irmã Maria Gertrudes do Santíssimo sacramento. o Instituto cresce e se desenvolve rapidamente, tanto que, em 1885 é aberta a primeira comunidade filial no Bairro Santa Catarina, onde as Irmãs trabalham na fiação Monzini dell ' Era. Infelizmente, uma grave crise econômica, devida mais a causas extrínsecas que à responsabilidade direta do Pe. Francisco e da Madre Gertrudes, obrigam os dois a se separarem.

Pe. Francisco é acolhido pelo Bispo de Cremona e, com as Irmãs que decidem seguí-lo, dá vida a uma nova família religiosa, as Irmãs Adoradoras, enquanto que, acolhida e ajudada pelo Bispo de Lodi, D. João Batista Rota, que já conhecia a Fundadora, quando esteve a seu serviço, em Chiari, Madre Gertrudes continua a obra iniciada com as irmãs que lhe permaneceram fiéis.

O Instituto foi denominado "Irmãs Sacramentinas de Bérgamo". Em Lodi, aos 17 de fevereiro de 1891, a Comensoli emite a profissão religosa, na presença do Bispo D. João Batista Rota, o qual, depois de poucos meses, erige canonicamente o Instituto das Irmãs Sacramentinas de Bérgamo, em sua diocese.

Monsenhor Luis Bana, Cônego honorário da Catedral de Bérgamo, é nomeado Superior do Instituto. Em 1892, a Comensoli, com as Irmãs, retoma a Bérgamo e readquire o convento da Rua Cavette. A Madre tem a alegria de ver seu Instituto, pelo qual tanto rezou e sofreu, desenvolver-se e crescer na fidelidade e amor para com Jesus Eucaristico, adorado com "turnos bem organizados" e com o envolvimento dos leigos.

Em 1898, aos 17 de junho, Madre Gertudes, Superiora geral do Instituto, apresenta ao Papa Leão XIll o pedido para obter a aprovação do Instituto e das Constituições, que são enviadas a cada comunidade, em 1899. A Comensoli não pode ver realizado o seu desejo, porque a morte a ceifou aos 18 de fevereiro de 1903, com apenas 56 anos. Com "Decreto de Louvor" o Papa Leão XIll, no dia 11 de abril de 1900, louva e recomenda o Instituto das Irmãs Sacramentinas de Bérgamo.

O Instituto é aprovado pela Santa Sé, aos 14 de dezembro de 1906, pelo Papa Pio X. As Regras são aprovadas aos 15 de junho de 1910. Em 1928 é aberto o processo de canonização de Madre Gertrudes que teve uma etapa importante em 1962 : João XXIII, aos 26 de abril, reconhece que a Comensoli praticou todas as virtudes cristãs de modo heróico.

Em 1989, no dia primeiro de outubro, João Paulo II aponta Madre Gertrudes como modelo de santidade, declarando-a Beata. E no dia 26 de abril de 2009, o Papa Bento XVI a proclamou santa. Depois da morte da Fundadora, o Instituto, no desejo de difundir seu ideal carismático e na escuta do Espírito, não deixa passar as ocasiões que se lhe apresentam para ampliar o campo de sua ação apostólica . Merece ser recordada, de modo particular, a presença das Sacramentinas, desde 1925 em Roma, no Bairro São Lourenço.

As Irmãs se ocupam da direção moral das operárias, de um pensionato de jovens operárias, de duas pré escolas e da catequese na paróquia. Em seguida, as Sacramentinas são solicitadas nos subúrbios que iam-se formando nas periferias da cidade e são chamadas de "missionárias às portas de Roma". o Instituto inicia a sua expansão missionária no exterior, em 1929, com a abertura de uma comunidade na Suiça; dez anos depois, na África setentrional; em 1940, na China; em 1946, no Brasil; em 1976 no Malawi; em 1987, no Equador, em 2005 na Bolivia e 2006 na Croácia.

Boletim Informativo

Cadastre-se em nossa lista de emails e receba todas as notícias e nosso boletim informativo diretamente em seu email.

Desenvolvimento: Verbete Comunicação Digital