Notícias - Madre Luisa

Artigo

Nos dias 15 e 16 de julho, estivemos reunidos aqui no Itinga e em João Lisboa em um belíssimo encontro com todos os funcionários das obras Dom Marcelino e Madre Luísa. O Tema do mesmo foi: “Hábitos criam horizontes!”.

No primeiro instante o palestrante Dinho focalizou muito a respeito das emoções, ensinando-nos a reaprender a respirar, enfatizou a importância de aceitar os nossos sentimentos com naturalidade sem reprimir, ou seja, o meu crescimento só acontece quando supero a necessidade de fugir, encarando a realidade própria da minha individualidade, quando deixo de expressar uma emoção o meu inconsciente cria um bloqueio.

O fato de aceitarmos o que sentimos, traz para o nível consciente algo que pode provocar uma mudança em nossas atitudes, cria graus de responsabilidade. Um exemplo é a tristeza que é algo natural e não tem nada de errado nisso.  A segunda emoção é a raiva, sentimento natural, mas que transferida para os outros atinge o fígado. A cultura de engolir, reprimir a raiva provoca uma transferência para os nossos relacionamentos com os alunos, colegas de trabalho (marido, filhos...). O que se transforma em ódio é algo antinatural, a raiva pode ocorrer e voltar novamente ao estado normal, como as crianças na mesma hora que brigam já estão se falando e brincando, o ódio não volta,. Constatamos que as raivas que trazemos podem durar até 5° geração.

Terceira emoção inveja uma saída construtiva usada para estudar mais, crescer profissionalmente, emocionalmente; pode trazer muitos benefícios, mais que exagerada pode se transformar em ciúmes como Caim e Abel.

Quarta: o medo- pode ser uma alerta, um meio para nos proteger, fortalecendo sempre com coragem para evitar  que vire pânico, pois não é o outro que me faz feliz ou triste, sou eu! Última emoção o amor- é um grande potencial que recebemos dos nossos pais, que precisa ser expresso nas nossas relações, caso contrário o amor reprimido vira possessividade do outro roubando-lhe a liberdade, vive medindo forças sempre; pois amar é dar liberdade.

Motivando-nos com uma proposta: “Quais são as mudanças que posso fazer em mim?”. O resultado de hoje é consequência do passado. É de suma importância rever o meu conjunto de hábitos. “Não é possível dar um passo adiante com os olhos fixos no passado, mas sim ao horizonte, e com os pés bem firmes no Presente!”.

No segundo dia fizemos a experiência de voltar a nossa vida uterina, na pré-concepção (1 ano antes), na concepção, gestação, nascimento. Cultivar o conhecimento de si, “Abraçar a vida, Abraçar o amor, Abraçar a si mesmo!”.

Levar para as crianças que elas são importantes; repetir até a mente aceitar: EU SOU IMPORTANTE! O que você acredita, cria o que você sente.

“Toda parede tem uma porta. Todo obstáculo é um convite para aprender!” mudar hábitos, não andar como no trilho do boi, mudar para melhorar, para ser feliz, mudar pequenos comportamentos (como deixar o creme dental aberto), ter bons pensamentos, aceitar- só mudamos a nós mesmos, tudo começa com “um ponto” dentro de nós.

“Guimarães Rosa diz: Quando o homem está satisfeito ele dorme!” que estejamos continuamente insatisfeitos positivamente, instigando a nós mesmos á irmos mais além, sair só do raciocínio estimulando nossa mente a sentir, dizendo mais “Eu sinto muito! Me perdoe! Eu te amo! Eu te Agradeço (aprendendo a retirar o obrigado pois vem de obrigação colocando mais gratidão)”!

Plante seu jardim e decore sua alma, ao invés de esperar que alguém lhe traga  flores. E você aprende que realmente pode suportar, que realmente é forte, e que pode ir muito mais longe depois de pensar que não se pode mais. E que realmente a vida tem valor e que você tem valor diante da vida!William Shakespeare.

 

Comunidade Madre Luisa ,Itinga  MA

Desenvolvimento: Verbete Comunicação Digital