História das Irmãs Sacramentinas de Bérgamo

Santa Gertrudes Comensoli, Fundadora das Irmãs Sacramentinas de Bérgamo, nasceu em Bienno (Bréscia) aos 18 de janeiro de 1847. Foi batizada no dia seguinte, recebendo o nome de Catarina. 

Muito cedo foi atraída, de modo irresistível, por Jesus, presente na Eucaristia e, desde criança desejou ardentemente recebê-lo detendo-se, muitas vezes, longamente, em oração diante do Tabernáculo. Pouco a pouco, nela, foi tomando corpo o pensamento de fundar um Instituto de irmãs dedicadas à adoração perpétua de Jesus presente no sacramento da Eucaristia.

Na adolescência, porém, levada pelo desejo de aparecer e ser valorizada, ameniza a sua tensão para o Senhor. Logo se retoma e, enamorada do “seu” Deus mais do que nunca, não possui outro objetivo na vida a não ser o de amá-lo e fazer com que seja amado por todos. Dedica-se, de modo particular, às crianças que as mães lhe confiam de boa vontade, e também às jovens. Com grande dedicação ensina-lhes o catecismo e as instrui na oração de adoração.

A doença do pai e as dificuldades econômicas a obrigaram a deixar seu lar e sua cidade natal.

Primeiramente se dirige à cidade de  Chiari (Bréscia), e vai servir, como empregada doméstica, a abastada família  Rota, indo depois para Milão a serviço dos condes Fé-Vitali, como governanta e dama de companhia.

Em São Gervásio  D'Adda, onde seus patrões passam o verão, no tempo que lhe sobra do trabalho, Catarina se dedica à educação das crianças e das jovens, para as quais funda a “Guarda de honra do Santíssimo Sacramento”.

Em 1880, tendo tido a oportunidade de ir a Roma com os condes Fé-Vitali, numa audiência particular, pode falar com o Papa Leão XIII sobre o seu projeto de fundar um Instituto dedicado à adoração perpétua. O Papa lhe sugere que una, à adoração eucarística, o cuidado das adolescentes pobres, principalmente as operárias.

Voltando de Roma, Catarina pensa na realização do seu sonho, agora aprovado pelo Papa. Em Bérgamo, conhece o Padre Francisco Spinelli que, animado de ardente amor pela Eucaristia, compartilha do projeto de fundar uma  “Congregação que tivesse por objetivo principal a adoração perpétua do divino Sacramento Eucarístico”. Juntos, decidem submete-lo ao Bispo de Bérgamo, Dom Camillo Guindani que acolhe de boa vontade a ideia  “por tantos anos tão sonhada em Bérgamo e almejada por muitas outras pessoas amantes de Jesus Sacramentado”. 

No dia 15 de dezembro de 1882, na Rua Cavette, 8, em Bérgamo, em reduzidos e pobres ambientes alugados, com duas companheiras sua irmã Bartolomeia e a jovem Maria Pandini, dá início ao Instituto. Dois anos depois, Catarina veste o hábito religioso e assume o nome de Ir. Maria Gertrudes do Santíssimo Sacramento.

O Instituto cresce e se desenvolve rapidamente, tanto que, em 1885 é aberta a primeira comunidade filial, no Bairro Santa Catarina, onde as irmãs prestam seu serviço na fiação Monzini Dell‘Era. Infelizmente, um grave desastre econômico, devido mais a causas extrínsecas que à responsabilidade direta do Padre Francisco e de Madre Gertrudes, obriga os dois a se separarem. Padre Francisco é acolhido pelo Bispo de Cremona, D. Geremia Bonomelli e, com as irmãs que optaram por segui-lo, dá vida a uma nova família religiosa: as Irmãs Adoradoras. Madre Gertrudes, recebendo apoio do Bispo de Lodi, D. Gian Batista Rota, continua a obra iniciada com as irmãs que lhe permaneceram fiéis. O Instituto é denominado  “Irmãs do Santíssimo Sacramento de Bérgamo”.

Aos 26 de fevereiro de 1892, em Lodi, Madre Gertrudes emite a profissão religiosa perpétua, na presença de D. Gian Batista Rota, o qual, depois de poucos meses erige canonicamente o Instituto na sua diocese. 

Superadas as dificuldades, no mesmo ano, a Comensoli toma posse novamente do convento da Rua Cavette, em Bérgamo. Vê com alegria  seu Instituto desenvolver-se  e crescer em fidelidade e amor para com Jesus na Eucaristia, adorado pelas irmãs e pelos leigos. É nomeado Superior do Instituto Mons. Luigi Bana, cônego honorário da catedral de Bérgamo. 

Aos 17 de junho de 1898, Madre Gertrudes, Superiora geral, apresenta ao Papa Leão XIII o pedido de aprovação do Instituto e das Regras. A Comensoli não pode ver seu desejo realizado porque a morte a colheu aos 18 de fevereiro de 1903, com apenas 56 anos de idade.

Com o “Decreto de Louvor”,  de 11 de abril de 1900, Leão XIII louva e recomenda o Instituto das Irmãs do Santíssimo Sacramento de Bérgamo”, mas adia a aprovação que vai ser concedida pelo Papa Pio X, aos 14 de dezembro de 1906. As Regras são aprovadas no dia 15 de junho de 1910.

Em 1928 é aberto o processo de canonização de Madre Gertrudes, do qual, uma etapa importante é a de 1962: no dia 26 de abril, João XXIII reconhece que a Comensoli praticou todas as virtudes de modo heroico e a declara “Venerável”.

Em 1989, no dia primeiro de outubro, João Paulo II  aponta Madre Gertrudes como modelo de santidade, declarando-a  "Bem - aventurada”.

Depois da morte da Fundadora, o Instituto, desejoso de difundir seu ideal carismático e na escuta do Espírito, acolhe a oportunidade que lhe é oferecida para ampliar sua ação apostólica na Itália.

Inicia sua expansão fora da Itália em 1929 com a abertura de uma comunidade sacramentina na Suíça; 10 anos depois, na Etiópia; em 1939, as Irmãs partem para o Continente Africano. Mas a guerra conduziu os aliados Americanos e Ingleses na Etiópia e as Irmãs foram constrangidas a retornarem à Pátria, era o ano de 1943. Em 1940 na China; em 1946 no Brasil; em 1976 retornam ao Continente Africano e dão inicio às atividades no Malawi; em 1987 no Equador; em 1991 no Quênia; em 2005 na Bolívia e em 2007 na Croácia. Atualmente o Instituto está presente na Europa ( Itália, Croácia),  na África ( Malawi e Quênia) e na América Latina ( Brasil, Equador, Bolívia).

 

Chegada ao Brasil

 

As sacramentinas armaram suas tendas também no Brasil. Chegaram em 21 junho de 1946 no Rio de Janeiro. Por 3 meses as Irmãs ficaram hospedadas na casa das Irmãs Vicentinas. Depois, convidadas pelos Padres Sacramentinos, dirigiram-se a Belo Horizonte, onde também encontraram uma vida de muitos sacrifícios.

Em Belo Horizonte surgiu uma Igreja para adoração, onde os fieis podem passar algum tempo em adoração diante do Santíssimo Sacramento. No Equador, chegaram aos 10 de abril de 1986, e atualmente estão presentes na Itália, onde contam com 81 comunidades, no Brasil, com 14 comunidades, na África com 6 comunidades e no Equador, com 5 comunidades.

Estamos celebrando com muita alegria e ação de graças os 70 anos da chegada das primeiras Irmãs Sacramentinas ao Brasil.

Boletim Informativo

Cadastre-se em nossa lista de emails e receba todas as notícias e nosso boletim informativo diretamente em seu email.

Desenvolvimento: Verbete Comunicação Digital